quarta-feira, 8 de março de 2017

Fátima: “visita do Papa será un momento de gracia” diz D. António Marto

Mensagem para a Quaresma apela a uma peregrinação expressiva dos diocesanos a Fátima em maio


Don Antonio Marto (Fto santuario Fatima)
Don Antonio Marto (Fto santuario Fatima)
(ZENIT – Roma, 07 Mar. 2017).-  O bispo de Leiria-Fátima, don Antonio Marto, na Mensagem para a Quaresma, o exorta os diocesanos a peregrinarem a Fátima neste ano do centenário das Aparições e a juntarem-se ao Papa Francisco, em maio.

“Esta peregrinação põe em evidência -sublinhou o bispo- como de Fátima irradia para todo o mundo uma mensagem de misericórdia, de esperança e de paz, que temos vindo a aprofundar ao longo deste ano pastoral sob o lema- O meu Imaculado Coração conduzir-vos-á até Deus-. À mensagem respondemos em atitude de conversão do coração e da vida no itinerário quaresmal”, diz o prelado.

“Queremos viver a visita do Santo Padre como um momento de graça e uma significativa experiência cristã para a Igreja em Portugal e, de modo particular, para a nossa diocese” acrescenta D. António Marto.

“Desde já apelo, de todo o coração -disse o bispo- a todos os diocesanos para que nesses dias peregrinem a Fátima para viver esta experiência ao vivo com o Papa Francisco, para o acolher com o calor do nosso afeto e para manifestar aquele amor ao Papa que é uma dimensão profunda da mensagem de Fátima e do catolicismo português”.

Inspirado pela mensagem quaresmal do Papa Francisco, centrada na conhecida parábola evangélica do pobre Lázaro e do rico avarento, lembra que no mundo atual, os cristãos devem combater a cultura da indiferença e do descarte, regressando a Deus e consequentemente ao outro, que lhes está mais próximo.

“Na Quaresma somos chamados a abrir o nosso coração aos irmãos necessitados através de ações concretas” destaca exemplificando com dois projetos diocesanos que, na sua opinião, devem merecer a adesão dos cristãos, nomeadamente o Serviço de Apoio à Maternidade em dificuldade e o apoio aos refugiados “que fogem da guerra e da miséria à busca de pão e trabalho, de liberdade e dignidade e que não são acolhidos como deveriam ser”.

“A Palavra de Deus permite-nos olhar os outros com o olhar de Cristo e com as entranhas de misericórdia do Pai. Mas é também força viva e eficaz que suscita a transformação do coração e o orienta de novo para Deus” prossegue o prelado.

Na mensagem para a Quaresma D. António Marto esclarece que a coleta da renúncia na diocese será canalizada, através da Caritas nacional, para a ajuda aos refugiados na Grécia ou noutros países, onde vivem em condições de miséria.

in



Sem comentários:

Enviar um comentário