sexta-feira, 5 de maio de 2017

Papa recebeu Aung San Suu Kyi, prémio Nobel da Paz

Vaticano e Mianmar estabelecem relações diplomáticas

(ZENIT – Cidade do Vaticano, 4 Maio 2017).- O Papa Francisco recebeu nesta quinta-feira no Vaticano, a conselheira de Estado e ministra das Relações Exteriores de Mianmar, Aung San Suu Kyi, em audiência.
A Oficina de Imprensa da Santa Sé informa num comunicado que “a Santa Sé e a República da União de Mianmar, desejosas de promover ligações de amizade recíproca, decidiram, de comum acordo, estabelecer relações diplomáticas no âmbito de Nunciatura Apostólica da parte da Santa Sé e de Embaixada da parte da República da União de Mianmar”.
Aung San Suu Kyi (19 de junho de 1945), é uma política birmanesa, vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 1991 e secretária-geral da Liga Nacional pela Democracia, uma das mais importantes lideranças para a volta da democracia em seu país.
Foi detida e colocada em prisão domiciliar, condição em que viveu por quase 15 dos 21 anos que decorreram desde o seu regresso à Birmânia, em 20 de julho de 1989, até sua libertação, depois de forte pressão internacional, em 13 de novembro de 2010. Ao longo desses anos, Suu Kyi foi uma das mais notórias prisioneiras políticas do mundo.
A partir de 2010, o governo do Presidente Thein Sein, ex-general, implementou uma série de reformas políticas, instaurando um governo civil, libertando os opositores políticos, entre os quais, a senhora Aung San Suu Kyi, e convocando eleições livres parlamentares, parciais em 2012 e gerais em 2015.
A República da União de Mianmar é o 183º país a estabelecer plenas relações diplomáticas com a Santa Sé.
A Nobel da Paz em 1991 já se encontrou com o atual Papa em outubro de 2013, tendo então o Vaticano elogiado o seu trabalho “pela democracia e pela paz”.
in



Sem comentários:

Enviar um comentário