segunda-feira, 15 de maio de 2017

A maior exposição sobre a exploração espacial está em Lisboa

Portugal é o primeiro país a receber a digressão mundial da Cosmos Discover. Esta exposição começou a sua digressão em Lisboa e vai viajar pelo mundo nos próximos cinco anos.

A exposição Cosmos Discovery ocupa uma área de 2500 m2 dividida em galerias que permitem aos visitantes reviver as histórias reais dos heróis que atravessaram a fronteira para o espaço exterior.  

São mais de 200 objetos da NASA e de outras agências espaciais, como a da antiga União Soviética, na exposição Cosmos Discovery, junto à Estação Fluvial de Belém, no Terreiro das Missas, em Lisboa. A mostra, que pretende contar o passado, o presente e o futuro da exploração espacial, divide-se em seis galerias que ocupam cerca de dois mil e 500 metros quadrados, numa enorme tenda montada para o efeito.


Entre modelos realistas de foguetes e cápsulas, modelos passo a passo de estações orbitais e documentos únicos autênticos, a Cosmos Discovery apresenta o satélite soviético Sputnik, a cadela Laika, a cápsula do chimpanzé americano Enos, a história de Yuri Gagarin – o primeiro humano no espaço – e um modelo à escala da nave americana Mercury.

As outras galerias apresentam o programa Apollo – incluindo o rover lunar usado pelas tripulações americanas para explorar a Lua –  bem como o rover soviético Lunokhod Lunar; uma vasta gama de fatos espaciais e outros equipamentos (desde os modelos históricos até aos mais recentes, adaptados a voos espaciais de longa duração numa estação orbital); os três módulos básicos originais da nave soviética Soyuz estão também em exposição.


Os visitantes terão também a oportunidade de ver asteroides com dezenas de milhões de anos, objectos da Estação Espacial Internacional (ISS) e o equipamento original do Centro de Controle da Missão em Houston, que são das passagens mais apreciadas. Os fãs de tecnologia apreciarão ver uma parte original do motor F1 usado no foguete Saturno V, que carregava as missões Apollo para a Lua. Graças à Exposição Cosmos Discovery, este motor está a ser exibido fora dos EUA pela primeira vez. 

Entre fatos espaciais e asteróides com dezenas de milhões de anos, a exposição Cosmos Discovery está aberta todos os dias entre as 10h e as 20h.
Também o chimpanzé americano Enos será recordado, através de uma réplica da cápsula em que viajou, em 1961, a bordo da nave Mercury, assim com nos mostra um casaco do astronauta David Scott, que usou quando pisou a Lua durante a missão Apollo 15. Não faltam objetos do quotidiano no Espaço, expostos nas vitrinas da exposição: sacos de comida embalada (doce de pêssego, salada de atum, bolachas de água e sal), as meias de Donald Kent Slayton, o cantil onde Yuri Gagarin levava vodca, pacotes de higiene da Apollo, uma t-shirt usada por William Reid Pogue na viagem ao Espaço do programa americano Skylab e três módulos básicos originais da nave soviética Soyuz, numa infindável montra de curiosidades.


Os visitantes terão a oportunidade de ver modelos, cápsulas, equipamentos, fatos espaciais e até pedaços de asteróides com milhões de anos. Em Cosmos Discovery, poderemos também reviver as histórias de quem andou pelo Espaço, como a cadela Laika, o primeiro ser vivo terrestre a ser lançado para o Espaço, Yuri Gagarin, o primeiro homem a passar a barreira da atmosfera, e Valentina Tereshkovae, a primeira mulher a partir numa nave espacial.

Com apoio Renascença, esta é a maior exposição itinerante sobre a exploração espacial do mundo e está em Lisboa, junto à Estação Fluvial de Belém. 

Maria Susana Mexia



Sem comentários:

Enviar um comentário