terça-feira, 5 de junho de 2018

A nossa Intervenção na Vida Pública


S. Paulo, na Epístola aos Romanos no versículo 28 afirma “Tudo converge para o bem dos que amam a Deus”. Ao reflectir sobre o “tumulto” levantado por alguns partidos, com a pretensão de aprovar a eutanásia no parlamento, apesar de ainda não ser conhecido o seu desfecho, já podemos tirar algumas elações muito úteis para o futuro.

A primeira, talvez a mais importante é que afinal a maioria dos portugueses ainda confessa supremacia da vida do Homem relativamente a toda a criação e sobretudo, a sua inviolabilidade.

Por outro lado, fica mais uma vez claro que há certos partidos que não são garante de tais valores, ou porque votem contra ou pela sua posição ser de um “Nim” em prole, segundo esses mesmos partidos, de uma liberdade que deve ser dada a cada deputado. Curiosamente, liberdade essa que deixa de existir em outros assuntos tais como a aprovação/rejeição do Orçamento de Estado. Esta última constatação, fez-me recordar o que li há tempos no livro “Um caminho sob o Olhar de Maria” onde a irmã Lúcia adverte da responsabilidade dos povos na escolha dos seus governantes e da aprovação de leis que são contra a moral.

No próximo há duas eleições, uma das quais habitualmente apresenta um forte abstencionismo. Nenhum cidadão pode deixar para os outros a escolha dos nossos representantes: se nos demitimos das nossas responsabilidades não nos queixemos se voltamos a ter um momento angustiante como este.

Esperemos que este momento menos agradável sirva para que cada um de nós passe a ter, na medida das suas possibilidades, uma actuação mais firme na sociedade, lutando pelos ideias de uma sociedade sã.

Não posso terminar esta reflexão sem dar os parabéns ao Professor Doutor Cavaco Silva ao publicamente mostrar a sua indignação pelo que se está a atropelar na Assembleia da República, manifestando o seu não apoio a todos os partidos que se manifestem a favor da Eutanásia, ou seja, a favor da morte em vez da cura. Muito Obrigada Senhor Professor!

Maria Guimarães



Sem comentários:

Enviar um comentário