quinta-feira, 6 de julho de 2017

Igreja/Desporto: Diocese de Viana do Castelo vence pela terceira vez seguida torneio de futsal para padres

Foto: Agência Ecclesia/CB Equipa de futsal de Viana do Castelo
e presidente da CM do Santiago de Cacém
Sacerdotes do Alto-Minho contam com oito vitórias em 12 edições da «Clericus Cup»

Santiago do Cacém, 05 jul 2017 (Ecclesia) – Os padres da Diocese de Viana do Castelo venceram hoje a 12.ª edição da ‘Clericus Cup’, torneio de futsal para sacerdotes católicos, depois de derrotarem a equipa de Vila Real , por 1-0, alcançando o tricampeonato.
“O trofeu é o que menos importa, o mais importante é sempre o convívio entre nós. Nem sempre nos encontramos ao longo do ano e, sobretudo, colegas de outras dioceses ainda vemos menos”, disse o padre José António Cunha, da Diocese de Viana do Castelo no fim do torneio.
Em declarações à Agência ECCLESIA, o sacerdote tricampeão sublinhou a importância do convívio e encontro gerado no torneio de futsal de padres onde partilham “os mesmos problemas, obstáculos e alegrias”.
Em 12 edições da ‘Cléricus Cup’ os padres da Diocese de Viana do Castelo já venceram oito vezes; Hoje sagraram-se tricampeões em Santiago do Cacém num jogo que ganharam por 1 golo frente à Diocese de Vila Real.
“Segundo lugar não é mau, foi bom, muito bom esforço que eles fizeram. Para a próxima fica para nós”, afirmou o treinador dos padres de Vila Real.
Paulo Gonçalves assinala que a equipa tem “fairplay”, é “muito agradável”:  “Todos gostam de nós, é isso que realmente queremos.”
Segundo o professor de Educação Física, que treina a equipa de Vila Real há cerca de cinco anos, os treinos são mesmo a “parte mais difícil” porque tem “atletas que fazem 120 quilómetros” para cada lado e “não é fácil”.
O torneio decorreu em Santiago do Cacém, Diocese de Beja, e congregou cerca de 100 participantes de Braga, Viana do Castelo, Porto, Vila Real, Lamego, Viseu, Guarda, e uma equipa de padres Vicentinos, que organizam a ‘Cléricus Cup’ 2017.
Desde segunda-feira que ao desporto e ao convívio o programa teve momentos de celebração, e os atletas conheceram a “dimensão cultural do Alentejo”.
Segundo o padre vicentino Fernando Soares, foram visitar às ruínas de Miróbriga, a “lagoa de Santo André", e numa herdade contactaram com “o que era a vida no Alentejo, com o povo do campo, com alimentação típica”.
A Congregação da Missão celebra, ao longo deste ano, os 400 anos de fundação e 300 anos de presença em Portugal e o sacerdote adiantou que na Missa desta terça-feira deram também “a conhecer um pouco da vida de São Vicente de Paulo” e do seu carisma.
O terceiro lugar foi conquistado pela Arquidiocese de Braga à equipa aos Vicentinos que ainda têm sacerdotes das Dioceses de Beja, Évora e Portalegre-Castelo Branco.
O padre Marco Gil, de Braga, foi operado há pouco tempo e conta que estar na bancada “é muito difícil”.
“De fora sofre-se muito mais, à vontade de ir lá para dentro. Quando a gente está com o calor do jogo não temos, por vezes, a noção das asneiras que faz”, acrescentou o antigo jogador federado.
O também capitão da seleção nacional de futsal de padres portugueses e este ano tem “outra visão” dos colegas e identificou “valores” que podem ajudar em fevereiro 2018 no campeonato da Europa de sacerdotes.
Já para o padre Paulo Vicente, de Viseu, a primeira participação “começou por ser muito dolorosa” porque ao fim de 10 minutos em campo sofreu “uma lesão”.
“Mas estar a ver os meus colegas padres a jogar também é um testemunho para as pessoas. Os padres não são só rezar missa”, observou.
Paulo Vicente foi ordenado presbítero no dia 25 de junho e depois rumou à ‘Clericus Cup’ e se no percurso para a ordenação “há sempre um caminho longo de preparação” para este campeonato não é diferente: “Em Viseu preparamo-nos todas as semanas, há 2.ª feira jogamos futebol e viemos sempre ao torneio.”
CB
in


Sem comentários:

Enviar um comentário