sexta-feira, 23 de junho de 2017

Papa em Santa Marta: ‘Para ouvir a voz do Senhor é preciso se fazer pequeno’

Ele se prendeu à nossa vida, não pode se distanciar, Aposta forte e permanece fiel nessa atitude

Santa Marta 23 Jun 2017 (Osservatore © Romano)
(ZENIT – Cidade do Vaticano, 23 Jun. 2017).- O Papa Francisco na homilia da missa na Casa Santa Marta, celebrando nesta sexta-feira o solenidade do Sagrado Coração de Jesus, lembrou que para ouvir a voz do Senhor, é preciso se fazer pequeno.
Partindo da primeira leitura de hoje, Francisco explica Deus “no coração de Jesus dá-nos a graça de celebrar com alegria os grandes mistérios da nossa salvação, de Seu amor por nós”, celebrando. E isto é “a nossa fé”, disse.

Indicando duas palavras contidas no texto: ‘escolher’ e ‘pequenez’. Em relação à primeira, não fomos nós a “escolhê-lo”, mas é Deus que se fez “nosso prisioneiro”.
“Ele se prendeu à nossa vida, não pode se distanciar”. Aposta forte! Ele permanece fiel nessa atitude. Fomos escolhidos por amor e esta é a nossa identidade.

Alguém poderia dizer: “Eu escolhi esta religião, eu escolhi …’ Não, você não escolheu. É Ele que escolheu você, chamou você e se prendeu. E esta é a nossa fé. Se não acreditamos nisso, não entendemos a mensagem de Cristo, não entendemos o Evangelho”.
Para a segunda palavra, pequenez, lembra que Moisés indica que o Senhor escolheu o povo de Israel, porque é “o menor de todos os povos”
“Ele se apaixonou pela nossa pequenez e por isso ele nos escolheu. E ele escolhe os pequenos: não os grandes, os pequenos. E Ele se revela aos pequenos: ‘Escondestes essas coisas aos grandes e poderosos e as revelastes aos pequeninos!’ Ele se revela aos pequenos: se você quer entender algo do mistério de Jesus, abaixe-se: faça-se pequeno. Reconheça que você não é nada. E não só escolhe e se revela aos pequenos, mas chama os pequenos: ‘Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados: Eu vos aliviarei’. Vós que sois os mais pequenos – pelos sofrimentos, cansaço … Ele escolhe os pequenos, se revela aos pequenos e chama os pequenos. Mas os grande Ele não os chama? O Seu coração está aberto, mas a voz os grande não conseguem ouvi-la porque eles estão cheios de si mesmos. Para ouvir a voz de Deus, é preciso se fazer pequeno”.
O mistério do coração de Cristo, não é uma “imagem pequena” para os devotos: o coração traspassado de Cristo é “o coração da revelação, o coração da nossa fé, porque ele se fez pequeno, ele escolheu este caminho”. O de humilhar-se e aniquilar-se ‘até a morte’ na cruz, e “uma escolha para a pequenez, para que a glória de Deus possa se manifestar”.
Do corpo de Cristo traspassado pela lança do soldado “saiu sangue e água”, recorda Francisco, e “este é o mistério de Cristo”, na celebração de hoje, de um “coração que ama, que escolhe, que é fiel” e “se une a nós, se revela aos pequenos, chama os pequenos, e se faz pequeno”.
“Cremos em Deus, sim; sim, também em Jesus, sim … ‘Jesus é Deus?’ – ‘Sim’. Mas o mistério é este. Esta é a manifestação, esta é a glória de Deus. Fidelidade ao escolher, no prender-se e pequenez também por si mesmo: tornar-se pequeno, aniquilar-se. O problema da fé é o núcleo da nossa vida: podemos ser muito, muito virtuosos, mas sem ou pouca fé; devemos começar a partir daqui, a partir do mistério de Jesus Cristo que nos salvou com a sua fidelidade”.
O Papa concluiu pedindo que o Senhor nos conceda a graça de celebrar no coração de Jesus Cristo, “os grandes gestos, as grandes obras de salvação, as grandes obras de redenção”.
in



Sem comentários:

Enviar um comentário