quinta-feira, 8 de junho de 2017

Papa aos bispos venezuelanos: aliviar a dor do povo e procurar a paz

Os bispos apresentaram uma abundante documentação ao Santo Padre sobre a dramática situação do país

(Osservatore © Romano)
(ZENIT – Cidade do Vaticano, 8 Jun. 2017).- O Papa Francisco recebeu nesta quinta-feira em uma audiência privada no Vaticano, o Conselho da Presidência da Conferência Episcopal Venezuelana.O Santo Padre convidou os bispos a acompanharem o povo neste momento difícil, a procurar a coexistência e a paz, indicou o cardeal Jorge Urosa em entrevista a ZENIT.
O purpurado indicou que a crise agrava-se a cada dia, devido a um sistema totalitário e marxista que não quer reconhecer a soberania do povo que elegeu uma Assembleia Nacional, à qual foi retirado o poder. Lembrou o adiamento das eleições regionais que estavam marcadas para o final de 2016, mas principalmente à fome e falta de medicamentos que sofre o povo.
O encontro foi solicitado pela própria conferência episcopal para falar com o Papa sobre o difícil momento que o povo venezuelano tem atravessado no país, principalmente por estar afetado por uma grave crise humanitária, política e econômica.
Estiveram com o papa Francisco, Monsenhor Diego Rafael Sanchez, arcebispo de Cumaná e presidente da Conferência Episcopal Venezuelana; o monsenhor José Luis Azuaje Aiala, bispo de Barinas; o monsenhor Mario del Valle Moronta Rodriguez, bispo de San Cristóbal; monsenhor Victor Hugo Basabe, bispo de San Felipe; o cardeal Jorge Liberato Urosa Savino, bispo de Caracas; e o cardeal Baltazar Enrique Porras Cardozo, arcebispo de Merida.
A contestação política e social abala o país desde o início de abril e pelo menos 65 manifestantes morreram em confrontos com as forças de segurança.
Os bispos defenderam a realização de eleições gerais para ultrapassar a crise e pediram a abertura de um corredor humanitário. Nas fotos da audiência de hoje publicadas pelo jornal vaticano L’Osservatore Romano è possível ver que os bispos apresentaram uma abundante documentação Papa.
in



Sem comentários:

Enviar um comentário