segunda-feira, 5 de junho de 2017

Francisco aos Missionários da Consolata: presença nos novos areópagos da evangelização

Atenção especial ao diálogo com o Islão, a promoção da dignidade de mulher e dos valores da família, a sensibilidade pelos temas da justiça e da paz

(Ossservatore © Romano)
(Ossservatore © Romano)
(ZENIT – Cidade do Vaticano, 5 Jun. 2017).- O Santo Padre Francisco recebeu em audiência no Vaticano, na manhã desta segunda-feira, os participantes nos Capítulos Gerais dos Missionários e Missionárias da Consolata.
O Papa ao dirigir-se aos presentes, cuja Congregação foi fundada pelo bem-aventurado Giuseppe Allamano os convidou junto aos coirmãos e coirmãs que, muitas vezes, atuam em condições difíceis nos diversos Continentes, a prosseguir com generosa fidelidade a sua missão “ad gentes”.
“Gostaria de exortar-lhes a fazer um atento discernimento sobre a situação dos povos, entre os quais desempenham a sua ação evangelizadora. Jamais se cansem de levar conforto, sobretudo àqueles que se encontram em situações de grande pobreza e sofrimento, sobretudo na África e América Latina. Busquem dar seu testemunho de caridade, que o Espírito infunde em seus corações”, disse o Papa.
E lembrou que para levar adiante o compromisso missionário é preciso viver em comunhão com Deus.
O Papa apontou ainda às situações de pobreza em África e na América Latina, regiões onde os Missionários e Missionárias da Consolata estão presentes, elogiando os que dedicaram a sua vida a esta causa, assim como os religiosos e religiosas que amaram o Evangelho da caridade mais do que a si mesmos e coroaram o serviço missionário com o sacrifício da vida.
“No esforço de atualizar o estilo de serviço missionário, é preciso privilegiar alguns elementos significativos como a sensibilidade à inculturação do Evangelho, dar espaço à corresponsabilidade dos agentes pastorais, adotar formas simples e pobres para viver entre as pessoas”, indicou.
Sublinhou a importância de marcar presença “nos novos areópagos da evangelização”, privilegiando, mesmo com “sacrifícios”, a abertura a situações de particular necessidade e que se revelam “emblemáticas” para a atualidade.
E exortou ainda os Missionários dispensar atenção especial ao diálogo com o Islão, o compromisso na promoção da dignidade de mulher e dos valores da família, a sensibilidade pelos temas da justiça e da paz”.
in



Sem comentários:

Enviar um comentário