quinta-feira, 25 de maio de 2017

Papa ao crianças do pediátrico de Génova: “Levarei a vocês a carícia de Jesus”

Fez uma surpresa as crianças: uma saudação por telefone mediante a emissora paroquial

Quadro na pontificia academia das ciências
Quadro Na Pontificia Academia Das Ciências
(ZENIT – Roma) – O Papa Francisco irá no próximo sábado em visita pastoral à cidade italiana de Gênova, onde tem um encontro com as crianças enfermas e seus familiares no Hospital pediátrico “Giannina Gaslini”.
Ontem a tarde, o Santo Padre fez uma surpresa as crianças da estrutura hospitalar: uma saudação por telefone, mediante a emissora paroquial ‘Rádio entre notas’, fundada pelo sacerdote genovês, Roberto Fiscer, que todas as quartas-feiras dedica sua transmissão ao Hospital  pediátrico.
“Queridas crianças, pacientes do Gaslini de Gênova, saúdo vocês todas na expectativa de encontrar-nos no sábado. Quero dizer-lhes que espero com alegria o momento de me encontrar com vocês e com seus familiares. Irei para estar um pouco com vocês, ouvi-las e levar-lhes a carícia de Jesus. Ele está sempre conosco especialmente quando nos encontramos em dificuldade e quando precisamos. Ele sempre nos dá confiança e esperança. Desde já, rezo por vocês e, por favor, rezem por mim. Obrigado e nos veremos no sábado.”
Após a saudação, o Santo Padre recitou junto com as crianças uma Ave-Maria e concedeu a bênção aos pequenos pacientes e aos familiares.
O capelão do hospital, o padre capuchinho Frei Aldo Campone, declaro a Radio Vaticano que a visita “é vista como um ato de amor: é um sinal da presença de Deus em nosso meio. Não nos esqueçamos disso. É o vigário de Cristo, que é também esperança de um melhoramento da saúde, bálsamo de consolação. Até os que não creem entendem que é a passagem de um grande bem, por conseguinte, de fraternidade, de atenção ao homem. O Papa é para todos.”
“O Papa encontrará muitos que lhe mostrarão as chagas: as chagas das mãos, dos pés, as chagas do coração. Os pais que não têm nenhuma ferida, nenhum corte, mas têm as chagas porque sentem dentro deles a dor pelo sofrimento dos filhos. O sofrimento deles assemelha-se ao de Nossa Senhora aos pés da Cruz. Maria, sem morrer, é a rainha dos mártires. E desse modo os pais sofrem ao lado de seus filhos. Sempre disse no hospital: não temos um paciente, mas três. Temos a criança que é atingida fisicamente e temos os pais dos quais cuidar também. O Papa encontrará essa humanidade que passa pela provação.”

in



Sem comentários:

Enviar um comentário