terça-feira, 23 de maio de 2017

Beja: O diálogo peninsular no Festival Terras Sem Sombra

Sessão deste fim de semana realiza-se em Ferreira do Alentejo

Beja, 23 mai 2017 (Ecclesia) - A Igreja matriz de Nossa Senhora da Assunção, em Ferreira do Alentejo, acolhe, este sábado, o concerto «Um Espaço Comum: Aspetos da Tradição Lírica em Portugal e Espanha» integrado no Festival Terras Sem Sombra.
Espanha é o país convidado do Festival «Terras sem Sombra» deste ano, facto que abre “o Alentejo a uma pioneira apropriação do universo ibérico, permitindo assinalar inúmeras pontes, visíveis e invisíveis, entre os dois lados da fronteira”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.
Às 21:30 deste sábado sobem ao palco dois intérpretes que suscitam “enormes aplausos do público e da crítica”: a mezzosoprano extremenha Elena Gragera e o pianista catalão Antón Cardó.
A tarde de sábado é consagrada a uma visita ao centro de Ferreira do Alentejo, com início na matriz, às 14h30, sob a orientação do historiador da arte José António Falcão.
O percurso tem como principais alvos, depois dessa igreja, a capela do Calvário, templete de forma circular, que corresponde a uma velha tradição alentejana; a ermida de Nossa Senhora da Conceição, ligada à devoção de um natural da terra que acompanhou Vasco da Gama à Índia; e o Museu de Arte Sacra, na antiga igreja da Misericórdia, lê-se no comunicado enviado à Agência ECCLESIA.
Na manhã de domingo, 28, realiza-se uma ação de salvaguarda de biodiversidade que levará os voluntários do Terras sem Sombra ao Sado, “um rio ilustre, mas ainda desconhecido, cuja presença na opinião pública anda sobretudo ligada à reserva natural do seu estuário”.
De entrada livre, o Festival Terras sem Sombra prolonga-se até 2 de julho e segue para Sines e Beja.
“Um hino ao Alentejo: à beleza dos seus espaços naturais e ao prazer da descoberta dos tesouros artísticos e paisagísticos”, refere a nota.
LFS
in


Sem comentários:

Enviar um comentário