segunda-feira, 10 de abril de 2017

Sábado Santo, Sábado da Alegria

No dia 15 de Abril celebramos o Sábado Santo, o dia que nos coloca entre a Paixão dolorosa e a Ressurreição de Cristo. Entre a dor angustiante por todo o sofrimento do mundo e a esperança de um bem desejado. «No Sábado Santo vemos o dia da "morte de Deus", o dia que antecipa e exprime a experiência inaudita da nossa época em que Deus está simplesmente ausente» - palavras tão actuais de Bento XVI! É tão doloroso encarar o sofrimento do tempo presente que nos obrigamos, vezes demais, a nem querer olhar. Neste dia de silêncio contemplamos o nosso "mundo sem Cristo" sabendo, no entanto, que é também o Sábado da Alegria que nos conduz ao Domingo da Páscoa: o "fim da escravidão e o início da libertação", a "passagem da morte para a vida". E só então celebraremos a alegria da Ressurreição, a esperança num bem que não acaba tão expressivamente traduzido nos seus símbolos: o cordeiro - símbolo da Aliança entre Deus e os homens; o círio Pascal - a Luz que ressurgiu das trevas para iluminar o nosso caminho; o sino que tocando festivo anuncia a alegria da Ressurreição. E porque esta profunda alegria é, afinal, o desejo do homem em todos os tempos não podemos esquecer outros símbolos desta quadra festiva transversais a todas as culturas: as festas do início da Primavera o tempo em que animais e plantas se renovam; o ovo de Páscoa que traz a ideia de começo da vida e até o simpático coelho da Páscoa que é também símbolo de vida e fecundidade.

Nota - a autora escreve segundo a antiga ortografia.
Rosa Ventura



Sem comentários:

Enviar um comentário