quarta-feira, 12 de abril de 2017

A um mês da visita do Papa


A um mês da visita do Papa

 

O Papa Francisco chega dentro de um mês a Fátima, para presidir à primeira Peregrinação Internacional Aniversária do Centenário das Aparições, a 12 e 13 de maio.
Uma viagem de cerca de 24 horas durante a qual vai rezar, logo à chegada a Fátima, na Capelinha das Aparições, pelas 18h15.
Antes, ainda na Base Aérea de Monte Real, onde o avião da Alitália proveniente de Roma aterra pelas 16h20, o Santo Padre tem um primeiro encontro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e recebe cumprimentos de boas vindas de várias entidades civis e religiosas.
Tal como Paulo VI (1967) e João Paulo II (1991), o Papa vai ter um momento de oração na Capela de Nossa Senhora do Ar, ainda na base, antes de seguir de helicóptero para o Estádio Municipal de Fátima.
Do estádio para o Recinto, com início às 17h35, o percurso será feito no Papamóvel utilizado habitualmente nas Audiências Gerais na Praça de São Pedro, em Roma, uma viatura aberta sem proteção de vidro anti bala.
É para este trajeto que o reitor do Santuário, Pe. Carlos Cabecinhas, convida os portugueses, para saudarem o Papa na sua peregrinação até ao Santuário e com ele fazerem festa.
Depois do jantar em privado na Casa de Retiros de Nossa Senhora do Carmo, onde fica instalado, o Papa regressa às 21h30, à Capelinha das Aparições, o coração do Recinto, para proceder à bênção das velas e à recitação do rosário, fazendo uma saudação aos peregrinos.
O dia 13 começa com um encontro com o Primeiro-Ministro, António Costa, na Casa de Retiros, deslocando-se depois para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, onde visita os túmulos dos Três Pastorinhos, Francisco, Jacinta e Lúcia.
A Missa, concelebrada, no Recinto do Santuário está prevista para as 10h00; é aqui que o Santo Padre vai proferir a única homilia em Fátima, além de dirigir uma saudação aos doentes, que vão estar concentrados numa zona da colunata norte.
Segue-se o almoço com os bispos portugueses na Casa de Retiros de Nossa Senhora do Carmo e a partida de regresso a Roma.
É para este percurso, igualmente de Papamóvel, entre o Recinto e a Rotunda Norte, que o reitor do Santuário, Pe. Carlos Cabecinhas, faz novo apelo aos peregrinos, para se despedirem do Papa.
Na Rotunda Norte haverá ainda um momento musical, a cargo da Orquestra de Fátima e do Conservatório de Fátima-Ourém, antes de o Papa trocar o Papamóvel por uma viatura fechada que o levará de volta à Base Aérea de Monte Real.
Após a curta cerimónia de despedida, com as entidades civis e religiosas, o Papa Francisco entra no avião da TAP que, a partir das 15h00, o transportará de regresso a Roma, ao aeroporto de Ciampino, onde chega pelas 18h05 de Lisboa (19h05 em Itália).
Francisco é o quarto Papa a visitar Fátima, depois de Paulo VI (1967), João Paulo II (por três vezes, em 1982, 1991 e 2000) e Bento XVI (2010).

Consistório poderá decidir local e data de canonização de Francisco e Jacinta começa às 09h00 (hora de Lisboa) no dia 20 de abril

O encontro do Papa Francisco com os cardeais (Consistório) que poderá tomar a decisão sobre o local e data da canonização de Francisco e Jacinta Marto começa às 10h00 locais (09h00 em Lisboa) do dia 20 de abril, na Sala do Consistório do Palácio Apostólico do Vaticano.
Segundo a Sala de Imprensa do Vaticano, a reunião inicia-se com a celebração da Hora Tércia, seguindo-se o Consistório Ordinário Público para a canonização de 37 beatos, entre os quais os dois Pastorinhos de Fátima.
Este é o derradeiro passo até à cerimónia de canonização de Francisco e Jacinta Marto, num processo iniciado pelo então bispo de Leiria, D. José Alves Correia da Silva, a 30 de abril de 1952, um ano depois da trasladação dos restos mortais de Jacinta para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.
Inicialmente percorrendo caminhos paralelos, os processos dos dois videntes terminam a fase diocesana em 1979 e dez anos depois João Paulo II decreta a heroicidade das virtudes de Francisco e Jacinta, que passam a ser considerados veneráveis, o que acontece pela primeira vez na História da Igreja Católica com crianças não-mártires.
A partir daqui os dois processos são unidos num só. Dez anos depois, a 28 de junho de 1999, o Papa João Paulo II promulga o decreto sobre o milagre da cura de Emília Santos, obtido por intercessão dos dois pastorinhos, abrindo o caminho à beatificação, cuja celebração veio a acontecer, em Fátima, no ano seguinte, em 13 de maio de 2000, tornando-se nos mais jovens beatos não-mártires do catolicismo com festa litúrgica a 20 de fevereiro.
A beatificação estava a ser preparada para ter lugar em Roma, mas por vontade do Papa polaco, a celebração foi transferida para Fátima, onde João Paulo II beatificou Francisco e Jacinta Marto, apresentando-os à Igreja e ao mundo como «duas candeias que Deus acendeu para iluminar a humanidade nas suas horas sombrias e inquietas».
A 23 de março deste ano, o Papa Francisco reconheceu o milagre atribuído a Francisco e Jacinta, na sequência de uma proposta da Congregação para a Causa dos Santos, ficando apenas por decidir o local e data da cerimónia de canonização.
No processo de Francisco e Jacinta Marto, foi aceite como milagre a cura milagrosa de uma criança no Brasil, num caso de que ainda são escassos os pormenores.
A canonização é a confirmação, por parte da Igreja, de que um fiel católico é digno de culto universal (no caso dos beatos, o culto é diocesano) e de ser dado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.

Acessos à Cova da Iria

A circulação automóvel no interior da Cova da Iria vai começar a ter restrições a partir do dia 05 de maio, sendo total a partir da tarde do dia 12 até ao dia 13 para os veículos que não estejam credenciados.
Nesse período, todas as viaturas automóveis sem credenciação devem ficar nas 20 bolsas de estacionamento criadas em torno de Fátima, a distâncias que podem chegar aos 20 quilómetros, com uma capacidade para 18.000 veículos.
O transporte dos parques para o Recinto do Santuário e regresso será feito com recurso a 75 transferes, gratuitos, que vão circular em permanência. Cada parque terá uma cor e será fornecida ao proprietário do veículo uma senha com a cor correspondente, de modo a poder utilizar os transferes com o código de cor correspondente.
O acesso de pessoas ao Recinto do Santuário é totalmente livre, sem qualquer necessidade de acreditação. A limitação natural será a lotação do Recinto, calculada em cerca de 400.000 pessoas.
Apenas as zonas reservadas do Recinto, como as colunatas e altar, bem como as áreas envolventes por detrás do Santuário, vão ter acesso restrito a pessoas portadoras de credenciação.
Recorda-se que o período de pré-inscrição para peregrinos com necessidades especiais termina a 15 de abril. O espaço que lhes está destinado, na colunata norte, tem uma lotação de 300 lugares, pelo que terá de ser feita uma selecção por uma comissão médica.
Os peregrinos com necessidades especiais que tiverem sido seleccionados podem fazer credenciar uma viatura e um acompanhante e solicitar, se o necessitem, de uma cadeira de rodas.
Os concelebrantes e profissionais da Comunicação Social têm até 30 de abril para fazer a acreditação. No caso da Comunicação Social, devem também fazer a credenciação de viaturas.
As autoridades de segurança recomendam aos peregrinos que optem por transportes públicos (comboio, autocarro) para se deslocarem à Cova da Iria.
No caso dos comboios, à semelhança do que acontece com as bolsas de estacionamento, haverá transferes gratuitos de e para as duas estações que servem Fátima – Chão de Maçãs e Caxarias.
Quanto aos autocarros, os passageiros serão deixados e recolhidos no Terminal Rodoviário de Fátima, situado na avenida D. José Alves Correia da Silva, a cerca de 100 metros da Basílica da Santíssima Trindade.
Para os que optam pela viatura automóvel própria, a recomendação é que iniciem a viagem para Fátima o mais cedo possível e que evitem a A1, onde se prevêem que haja maiores congestionamentos de trânsito.
Por isso são recomendadas vias como a A8, A13, A23 e IC9.
Os estabelecimentos hoteleiros, de restauração e os lojistas de Fátima também foram sensibilizados para a necessidade de antecipar tanto quanto possível os respectivos abastecimentos, bem como a credenciação de viaturas que lhes sejam imprescindíveis para o funcionamento tão regular quanto possível naqueles dois dias.

Convite para a Festa

“Venham fazer a festa com o Papa Francisco” – foi o convite dirigido pelo reitor do Santuário de Fátima, Pe. Carlos Cabecinhas, a todos os portugueses, sublinhando que que Fátima é “um lugar seguro” e uma “cidade de Paz”.
Garantias que foram igualmente transmitidas pelas restantes autoridades envolvidas na organização da visita do Papa Francisco, a 12 e 13 de maio, como o presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca, o segundo comandante nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Tenente-coronel Albino Tavares, e o responsável das Relações Públicas da GNR, Major Bruno Marques.
E fazer a festa, sublinhou o Pe. Carlos Cabecinhas, não é apenas estar em Fátima e assistir às cerimónias, mas também acolher o Papa e estar na sua despedida.
Para isso, apelou à presença dos peregrinos nos percursos de chegada e partida do Santo Padre, ambos feitos no Papamóvel, a viatura aberta sem cabine de vidro à prova de bala que o Papa utiliza nas Audiências Gerais na Praça de São Pedro em Roma.
No dia 12 à tarde, o percurso será feito entre o Estádio de Fátima e o Recinto do Santuário e no dia 13, no final da visita, será entre o Recinto e a Rotunda Norte.
Aqui haverá um momento musical, com a Orquestra de Fátima e músicos do Conservatório de Ourém-Fátima a interpretarem uma música de despedida ao Papa Francisco.
Pelos trajectos e por toda a Cova da Iria a Câmara de Ourém vai colocar tarjas com a imagem do Papa, como mais um apelo a que se faça a festa com o Santo Padre.
Para as autoridades de segurança, especialmente a GNR, a operação Fátima vai decorrer de 01 a 14 de maio, envolvendo um número de efectivos não especificado, por razões de segurança, em acções que vão desde o normal patrulhamento de estradas e ruas à protecção do Papa e das altas individualidades que se desloquem à Cova da Iria, bem como o apoio aos peregrinos a pé.
Especialmente para estes, a GNR recorda as normas essenciais de segurança: evitem estradas principais, escolham caminhos com menos trânsito, usem coletes reflectores, caminhem em fila indiana e em sentido contrário ao da circulação.
A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) desenvolveu também uma Operação Fátima 2017, envolvendo 668 operacionais, que poderão chegar aos 980 se for necessário, articulando-se com entidades de vários sectores, desde as Forças Armadas (Exército e Força Aérea), PSP, GNR, INEM, Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, várias corporações de bombeiros, Cruz Vermelha, Ordem de Malta, Corpo Nacional de Escutas, Associação de Servitas e Santuário de Fátima.
Para apoio aos peregrinos, sobretudo os que se deslocam a pé,  a ANPC desenvolveu uma plataforma digital (www.protecaocivilfatima.pt) que pode ser consultada em telemóvel, permitindo planear rotas e obter outras informações como pontos de apoio, locais de dormida, parques de estacionamento, áreas de refeições, postos de socorro entre outros recursos.

Serviço de Peregrinos registou até agora 819 inscrições, com 91.540 peregrinos

Mais de 800 peregrinações organizadas registaram-se junto dos serviços de Santuário de Fátima para o mês de maio, envolvendo 91.540 peregrinos de praticamente todo o mundo.
Estes números, fornecidos pelo Santuário, referem-se apenas às 819 peregrinações que se registaram até agora no Serviço de Peregrinos do Santuário, comunicando datas, proveniência e número de pessoas envolvidas, não incluindo, por isso, outras peregrinações.
A origem dos grupos de peregrinos, com maior predominância dos provenientes de Portugal, abrange praticamente todos os continentes e envolve países e territórios tão diferentes como a Ilha de Reunião, Gibraltar, China (Hong Kong), Formosa, Burkina Faso, Austrália, Cabo Verde (um grupo de 40 peregrinos da diocese do Mindelo, liderados por D. Ildo Fortes), Paraguai, Indonésia, Gabão, Zimbabwe, Trindade e Tobago, Brasil, Polónia, Filipinas, Espanha e Itália.
Destaque ainda para peregrinações do Líbano, Índia, São Tomé (60 elementos da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes), Vietname, Coreia do Sul, Colômbia e Porto Rico, além dos Estados Unidos, França, Irlanda e África do Sul, entre muitos outros países.
O grupo mais numeroso é organizado pela Ultreia Mundial dos Cursilhos de Cristandade, envolvendo 9.000 pessoas de diferentes países, não especificados, além dos 150 elementos do Movimento dos Cursilhos de Cristandade do Vietname.
Por nacionalidades, as peregrinações de maiores dimensões são provenientes de Portugal, com o Grupo Oração das Mães a fazer chegar 7.000 pessoas ao Santuário de Fátima.
Numerosos são também os grupos da Peregrinação Nacional dos Acólitos (5.100 pessoas) e da Liga dos Combatentes (4.000 elementos).

Sem comentários:

Enviar um comentário