quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

“Veio para o que era Seu e os Seus não o receberam” Jo,1-11

São das primeiras palavras do Evangelho de S. João que nos podem fazer pensar, principalmente nesta época natalícia. O Criador do Universo desceu à Terra e não houve em Belém uma porta que se Lhe abrisse! 

Olhando para o Mundo de hoje, receio bem que o comportamento fosse semelhante, senão pior. Penso na falta de verdade, na falta de diálogo, nas injustiças, na incapacidade de interajuda. Não podemos aceitar estereótipos em que nalgumas classes só existem boas pessoas e noutras pessoas medíocres ou más, pois todos somos pecadores e capazes de tudo, como diziam e dizem muitos santos. Curiosamente, as pessoas mais humildes geralmente têm uma cultura tão vasta, um tão grande número de diplomas ou graduações que causariam inveja mesmo a quem não fosse invejoso. Há pessoas muito ricas que são simples e generosas e outras pobres ou remediadas que são bem avarentas e cheias de soberba …Também há muitas pessoas sempre com um sorriso no rosto apesar de portadoras dos maiores sofrimentos e outras que se queixam por tudo e por nada, sem qualquer razão para se queixarem.

Somos humanos e estamos em construção, daí a nossa capacidade de errar, como diz o Papa Francisco. 

Há uma coisa em que todos nós somos especialmente bons: a capacidade de julgar…Julgar sem conhecer os factos, julgar pelo aspecto, julgar porque dizem, julgar porque ouviram falar…

Graças a Deus muitos de nós procuramos a verdade porque só a Verdade nos fará livres como nos dizia S João Paulo II. Neste Natal que se aproxima, poderemos fazer o propósito de lutar pela justiça na Verdade pois Ela está no Menino que vai nascer. Só Ele nos completa e nos fará felizes. Ele estende a todos os homens as Suas mãos pequeninas e a todos dirige, cheio de amor, o Seu olhar, suplicando ser correspondido.

Penso que não podemos deixar de reflectir no Presépio, que existiu porque em Belém todos fecharam as portas a José e Maria. Talvez cansados da viagem não tivessem muito bom aspecto… Esta enorme lição de humildade foi-nos dada pelo nosso Deus. Jesus nasceu num estábulo porque todas as portas se Lhe fecharam apesar de tudo ser Seu. Quem não encontra consolo nesta realidade? Ele também nos disse que o discípulo não é diferente do Mestre. Se todos sabemos o que Lhe foi feito encontraremos na Cruz o maior lenitivo para todo o sofrimento quer seja físico quer seja psíquico. Muita gente encontra a cura das suas penas na Missa diária. É na Sagrada Eucaristia que mergulha as suas dores e também as suas alegrias, toda a sua vida. Todos os dias nestas almas nasce o Menino Deus e todos os dias o seu coração entre risos ou lágrimas canta um hino de amor no mais lindo Presépio.

Maria Teresa Conceição
professora aposentada







Sem comentários:

Enviar um comentário