sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Uma grande alegria para todos!

1 - Irmãos e amigos:

Nos últimos dois séculos tornou-se moda, em alguns ambientes culturais, dizer que o Cristianismo é uma religião triste, que Jesus Cristo é o Deus do sofrimento, da resignação, da agonia e da cruz. E os eruditos citavam que, nos evangelhos, vemos Jesus chorar várias vezes, mas nunca rir, e alinhavam algumas sentenças do Senhor, descontextualizadas, como estas: felizes os que choram, ai de vós que rides agora porque haveis de chorar… Estarão os cristãos condenados a viver na tristeza para serem fiéis ao seu Mestre crucificado? E será uma fatalidade que o povo português, o povo do fado e da saudade, seja um povo triste?

Como o Papa Francisco tem repetido, onde entra a luz do Evangelho, onde entra Jesus Cristo, entra a alegria. Na vida dos cristãos, tal como na dos outros homens, há certamente lugar para a tristeza, mas também, e sobretudo, para a alegria, para aquela alegria profunda à qual temos acesso, simbolicamente, pela porta minúscula e humilde da basílica e da gruta de Belém. Escutai a mensagem anunciada pelo anjo aos pastores no primeiro Natal, mensagem que hoje, neste contexto concreto em que vivemos, quero fazer ressoar para todos vós, sobretudo para aquelas e aqueles que viveis mergulhados na tristeza:

Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor! Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido envolto em panos e deitado numa manjedoura.

Esta é uma mensagem de alegria, de grande alegria para todo o povo, alegria provocada pelo nascimento de Deus no meio de nós. É uma mensagem necessária e atual como há dois mil anos, pois Aquele Menino nascido em Belém da Virgem Santa Maria cresceu, realizou a sua missão, morreu numa cruz por nós mas foi ressuscitado pelo Pai e vive no meio de nós, através dos tempos, continuando a formar-Se, a nascer, a crescer e a atuar, pelo Seu Espírito, no coração e na vida dos que n’Ele acreditam. Esta acessibilidade de Cristo que o Pai nos oferece é a expressão máxima do seu amor para connosco e a nascente da verdadeira alegria! Pelo Seu Espírito e com a tua colaboração, Deus quer realizar em ti, espiritualmente, a maravilha que realizou com Maria: o nascimento de Jesus que vem libertar-te da tristeza e oferecer-te a indescritível alegria de quem pode amar porque se reconhece amado. Ele conhece os teus sofrimentos e a necessidade que tens d’Ele para seres feliz, e vem ao teu encontro pedindo-te humildemente para Lhe abrires a porta do teu coração. Ele quer viver contigo porque deseja muito que tu vivas com Ele. Deus fez-Se homem para nos dar o Seu Espírito, para nos fazer participantes da sua natureza divina pela qual nos tornamos seus filhos adotivos e herdeiros. Para nós pecadores que fazíamos inferno para os outros e para nós próprios, Deus abriu as portas do Céu.

2 - Tendo escutado o anúncio do anjo, os pastores foram a Belém e encontraram Jesus recém-nascido, envolto em panos e deitado na manjedoura. Como escutaram, assim viram. E começaram a contar o que tinham ouvido e visto. Escutaram, caminharam, encontraram, anunciaram. Hoje, Belém, casa do pão, é a Igreja. É no seio da Igreja que se formam e nascem os filhos de Deus. A Igreja é, por isso, o lugar da grande alegria para todo o povo que acredita em Jesus: pobres e ricos, doutores e analfabetos, doentes e sãos. Queres que a grande alegria do mistério do Natal inunde a tua vida? Como os pastores escuta, caminha, vê, fala! Deixa que o Senhor Jesus te cure da tua surdez e da tua paralisia, da tua cegueira e da tua mudez espirituais! Escuta a boa notícia que o Senhor te faz chegar por este texto, caminha como discípulo, entra na Igreja onde a Sagrada Família te receberá e verás Jesus presente nos irmãos e nos acontecimentos da tua vida. Hoje, Belém, casa do pão, é a Igreja. É no seio da Igreja que se formam e nascem os filhos de Deus. A Igreja é, por isso, o lugar da grande alegria para todo o povo que acredita em Jesus: pobres e ricos, doutores e analfabetos, doentes e sãos. Poderás então, como os pastores de Belém, dar testemunho do que ouviste, do que viste, da vida nova que recebeste e cresce em ti. E assim poderás oferecer aos teus parentes, amigos e conhecidos, a melhor prenda de Natal.

3 - Porque teimas em defender como um tesouro a ferrugem da tristeza e da solidão que te devora a alma, e te sepultas vivo no lamaçal das tuas amarguras e angústias? Não tenhas medo do Deus Menino que bate à porta do teu coração, cheio de amor. Abre-Lhe, deixa que a alegria da salvação inunde o teu coração ressequido e o transforme num jardim! Não temais, vós que sofreis momentos difíceis ensombrados pela doença, pela morte e pela solidão, vós que vos sentis perdidos na vida, esmagados com problemas familiares, sem amor e carinho de ninguém, vós cuja vida parece reduzir-se a uma coleção de desilusões e de fracassos, que sofreis as consequências do egoísmo e carregais com o peso dos crimes e da corrupção desta sociedade desumanizada. Não temais porque o Senhor vos ama e vem para transformar as vossas vidas. Abri-Lhe, dai-Lhe espaço em vossos corações, celebrai e vivei o Natal com alegria!

4 - Celebrar o Natal é lutar contra a tristeza e o desânimo, contra o fatalismo e contra a degradação dentro de cada um de nós e à nossa volta, é celebrar a esperança e a alegria, é acolher o Único que tem poder para nos libertar do pessimismo e iluminar a nossa vida com a sua sabedoria. Vivamos o Natal, aprendamos com os anjos a dar glória a Deus para que floresça na terra uma paz verdadeira.

Queridos irmãos e irmãs: por obra do Espírito Santo, cumpra-se em vós aquilo que o Senhor vos promete por meio desta mensagem! Ele vos abençoe e vos dê a sua paz e a sua alegria e, por meio de vós, a muitos outros!
Rezai por mim.

+ J. Marcos








Sem comentários:

Enviar um comentário