segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Escutismo: Ivo Faria foi eleito chefe nacional do CNE

Foto Equipa Lais de Guia, Ivo Faria, eleito chefe nacional do CNE
Dirigente da Região de Braga vai liderar maior movimento juvenil em Portugal nos próximos três anos

Lisboa, 05 dez 2016 (Ecclesia) – Ivo Faria de Oliveira foi eleito este domingo chefe nacional do Corpo Nacional de Escutas (CNE) para os próximos três anos, nas eleições para a Junta Central e para o Conselho Fiscal e Jurisdicional Nacional.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o CNE informa que Ivo Faria de Oliveira disse que é para lobitos, exploradores/moços, pioneiros/marinheiros, caminheiros/companheiros que é o Corpo Nacional de Escutas trabalha “todos os dias”.

“Não esquecemos que, o que queremos, é ajudar a dar resposta à pergunta ‘que crianças e jovens queremos para o futuro’”, afirmou o chefe nacional do escutismo católico, dirigindo-se aos mais jovens do movimento.
O novo chefe nacional do escutismo católico desafiou depois os dirigentes a “caminharem juntos” e unidos pela "partilha dos mesmos ideais”.

Após as eleições deste domingo, Ivo Faria de Oliveira agradeceu a todos os que participaram no ato eleitoral, desde os mandatários aos apoiantes da sua lista, a Equipa 'Lais de Guia', e agradeceu também à lista concorrente, a Equipa ‘Todos CNE’, pelas “ideias e contributos que serão enriquecimento para o caminho”.

Segundo o Corpo Nacional de Escutas, apenas duas listas foram postas a sufrágio, entre os 10005 eleitores em todo o país, para órgãos nacionais para o triénio 2017-2020.

Para além de Ivo Faria, da Região de Braga, as eleições nacionais elegeram Joaquim Freitas, da Região de Braga, para chefe nacional adjunto; e foram eleitos como secretários nacionais Sandra Martins, da Região dos Açores, para o planeamento, Susana Carvalhosa, da Região de Lisboa, para os adultos, Raquel Kritinas, da Região do Porto, para a área pedagógica, Manuel Lavadinho, da Região de Lisboa, para a gestão, e José Rodrigues, também de Lisboa, para o ambiente; como secretário internacional foi eleito Ricardo Matos, da Região de Viseu.

O CNE adianta que foi a votação uma lista única para o Conselho Fiscal e Jurisdicional Nacional, encabeçada por António Cerqueira, que acabou eleita com o apoio da maioria dos votantes.

CB/JCP/PR

in



Sem comentários:

Enviar um comentário