segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Ao contrário do que erradamente se pensa…

A Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé publicou uma Nota Pastoral onde afirma ser «a educação integral essencial para promover o desenvolvimento harmonioso das pessoas e para alicerçar a justiça, a paz e o bem-estar das sociedades». «É pela educação que podemos preparar um futuro com esperança». Considerando que «uma das lacunas da educação é a ausência de referências que permitam o discernimento entre a rectidão e os desvios, entre o bem e o mal», lembra que «na educação cristã temos Jesus Cristo como referência e guia do caminho novo».
 
A educação cristã sempre foi uma necessidade, mas hoje é-o mais que nunca pois vivemos numa sociedade cada vez mais paganizada, onde se impõe uma laicidade de forma directa ou camuflada, marginalizando os valores cristãos ou declarando uma luta aberta contra os mesmos, considerando Jesus Cristo persona non grata e chegando mesmo a retirar dos espaços públicos os crucifixos.
 
A educação começa no berço e é consequência da educação e formação que os pais receberam. É na família que se aprende, com a palavra e com o testemunho de vida, a amar a Deus e ao próximo, a ver no outro um irmão, a respeitar no outro a dignidade de ser humano e de filho de Deus, a conviver pacificamente, a amar a verdade e a justiça, a conhecer a importância e o valor do diálogo, a perdoar, a construir a unidade no respeito pela legítima diversidade, a amar o outro como ser igual e diferente. É na família que se aprende a rezar. Deve ser reconhecido aos pais, na teoria e na prática, o direito de poderem escolher o tipo de educação que desejam para os filhos.
 
Os primeiros e principais educadores são os pais. Porém, sem se demitirem das suas responsabilidades, necessitam de quem os auxilie, pelo que, ao matricularem os filhos na escola, devem matriculá-los, também, na catequese. É fundamental uma catequese bem organizada, servida por um grupo de catequistas bem preparados, onde as crianças se sintam bem acolhidas, onde se ensine mais com o exemplo do que com a palavra. Catequese que deve dispor de um espaço físico adequado e ser ministrada nos horários mais convenientes às crianças e aos pais.
 
Na educação cristã também desempenham uma importante função as escolas católicas, que não devem limitar-se a ser uma escola como as demais. «Deveriam ser incentivadas na sua missão de ajudar os alunos a crescer como adultos maduros que podem ver o mundo através do olhar de amor de Jesus e compreender a vida como uma chamada para servir a Deus».
 
Beneficiando do apoio ministrado na catequese ou na escola católica, os pais não se eximem das suas responsabilidades educativas. Compete-lhes o direito/dever de acompanharem a forma como os filhos vão sendo educados. O diálogo entre pais e catequistas deve ser frequente, agindo estes como executores da vontade dos pais. Enquanto é ministrada a catequese aos filhos também é importante reunir com os pais, numa catequese de adultos, cuja necessidade também se vai fazendo sentir. Ao contrário do que erradamente se pensa catequese não é apenas coisa de crianças, mas de todo o ser humano em qualquer tempo, idade e circunstância.


Suzana Maria de Jesus


Sem comentários:

Enviar um comentário