domingo, 27 de novembro de 2016

Advento: «Pax Christi Portugal» propõe caminho para o Natal com atenção a migrantes e refugiados

Movimento católico defende «cultura da hospitalidade»

Lisboa, 24 nov 2016 (Ecclesia) – A ‘Pax Christi Portugal’ lançou uma proposta de celebração do Advento 2016, o tempo que precede o Natal no calendário católico e que começa este domingo, centrada na necessidade de acolher os migrantes e refugiados.

A caminhada enviada hoje à Agência ECCLESIA, que tem como tema a pergunta ‘Era estrangeiro e acolhestes-me?’, o movimento católico defende que se crie “o compromisso de criar uma cultura da hospitalidade”, porque “outro mundo é possível se há hospitalidade”.

A dimensão da “tragédia humana” dos migrantes e refugiados que “não pode deixar ninguém indiferente” e que “a todos deve interpelar” tem sido uma das principais preocupações do Papa Francisco, recorda o documento.

A Pax Christi Portugal contextualiza o seu alerta com dados da Organização das Nações Unidas, relativos a 2015, quando o número de migrantes internacionais “atingiu os 244 milhões, um aumento de 71 milhões ou 41% em comparação com 2000”, e 65,3 milhões de pessoas estavam deslocadas, internos e externos, devido a perseguição, conflito, violência generalizada ou violação dos direitos humanos.

O pontífice argentino, destaca o movimento, tem denunciado estas situações “não só com palavras” mas também com “gestos concretos” e apelado ao “compromisso urgente” de todos, principalmente dos cristãos.

A Pax Christi Portugal apresenta contributos para a celebração e vivência do tempo litúrgico do Advento, na paróquia, em família ou em grupo.

Na proposta disponível na internet, a ideia central para as quatro semanas de preparação para o Natal “é a temática da paz” e a caminhada sugere como esquema diversos momentos desde a ambientação, a reflexão, um gesto da paz, a oração e bênção final.

O movimento internacional católico Pax Christi (Paz de Cristo) foi fundado em França no ano de 1945, com o objetivo de encorajar a reconciliação e a paz nos Estados afetados pela II Guerra Mundial.

CB/OC

in



Sem comentários:

Enviar um comentário