quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Vaticano: Papa denuncia «hediondos atos de violência» no Iraque

Foto: Lusa
Francisco acompanha «horas dramáticas» que se vivem no país do Médio Oriente

Cidade do Vaticano, 23 out 2016 (Ecclesia) – O Papa Francisco alertou hoje no Vaticano para os “atos hediondos” de violência que aconteceram no Iraque, palco de confrontos entre o autoproclamado Estado Islâmico (EI), forças iraquianas e combatentes Peshmergas curdos.

“Estou próximo da população do Iraque, nestas horas dramáticas, em particular à cidade de Mossul”, disse Francisco, após a recitação da oração do ângelus, perante milhares de pessoas.

O Papa aludia à ofensiva desencadeada na última semana para reconquistar Mossul, sob controlo do EI desde 2014.

“Os nossos corações foram abalados pelos hediondos atos de violência que há demasiado tempo se estão a cometer contra pessoas inocentes, muçulmanos, cristãos ou pertencentes a outras etnias e religiões”, denunciou.

Francisco manifestou a sua tristeza pelas notícias de execuções a sangue-frio de “numerosos filhos desta amada terra [Iraque], entre os quais muitas crianças”.

“Esta crueldade faz-nos chorar, deixando-nos sem palavras”, confessou.

O Papa deixou uma mensagem de solidariedade e promessas de oração para que o Iraque, “apesar de duramente atingido” possa ser forte e mantenha “a esperança de poder avançar para um futuro de segurança, de reconciliação e de paz”.

No final da intervenção, Francisco convidou os peregrinos e visitantes presentes na Praça de São Pedro a um momento de oração, em silêncio, pelas vítimas deste conflito.

Segundo o exército iraquiano, desde a última segunda-feira, quando começou a ofensiva para reconquistar Mossul, 37 localidades foram recuperadas a sul da cidade.

OC


in



Sem comentários:

Enviar um comentário