terça-feira, 18 de outubro de 2016

Media: Renascença inicia formato mais noticioso e mais próximo dos ouvintes


Carla Rocha conduz a emissão em cada «Manhã da Renascença»

Lisboa, 17 out 2016 (Ecclesia) – A Renascença iniciou hoje uma nova grelha de programação e um novo formato de relação com os ouvintes com o objetivo de “dar a melhor informação”, explicar os “contextos da notícia” e onde a música é “determinante”.

“Através de um registo bem-disposto e descomplicado, pretende-se simplificar a atualidade, transformando a antena num espaço integrador e agradável, onde a música tem também um papel determinante”, refere a Renascença em comunicado.

Para o diretor do Canal Renascença, Pedro Leal, o “novo estilo” hoje inaugurado é “mais direto, mais próximo das pessoas” e com os conteúdos que têm distinguido a rádio.

“Temos de nos adaptar às formas e aos tempos das pessoas. As pessoas querem informação e o que vamos tentar é chegar às pessoas através de uma informação descodificada, em contexto, em conversa”, disse Pedro Leal à Agência ECCLESIA.

Para Carla Rocha, a voz do programa “Manhã da Renascença”, o objetivo é falar de “assuntos que têm impacto na vida das pessoas” e “dar a informação que interessa”.

“O que a Carla consegue fazer é instigar-nos sucessivamente a procurar respostas mais ágeis para os temas do dia-a-dia”, referiu Miguel Coelho, editor da manhã da Renascença.

“No formato mais tradicional da informação temos muitos analistas a explicar em termos muito específicos o que é que as coisas significam e nós procuramos simplificar essas mensagens”, afirmou Miguel Coelho.

Em declarações à Agência ECCLESIA no fim do primeiro programa da nova grelha, “Manhã da Renascença”, Carla Rocha referiu que se tratou de um “programa muito dinâmico”, “desafiante”, com uma “interatividade muito grande” e fruto de um trabalho em equipa.

“É uma orquestra onde há muita gente, cada pessoa com a sua função, muito bem definida. Coordenar ter a certeza de que no final sai uma melodia é um desafio desde o primeiro ao último segundo”, sublinhou.

O presidente do Conselho de Gerência da Renascença considera que os ouvintes querem uma rádio semelhante à que “hoje se inicia”, que não constitui uma rutura com a sua história, mas é uma “continuidade do que se tem feito”.

“Nos 80 anos da Renascença, a idade que a rádio tem, em cada tempo é necessário aproximar o que se faz dos destinatários. Chegou a altura de fazer um ajustamento para estarmos mais próximos dos interesses dos nossos ouvintes”, disse o padre Américo Aguiar.

Para o presidente do Conselho de Gerência da Renascença, a nova grelha e o novo formato que hoje iniciam reafirmam a identidade católica da rádio, onde tudo o que se faz “tem de ser uma leitura crente da realidade”.

“É isso que os ouvintes esperam de nós, sem nenhuma deriva que porventura nos queira fazer simpáticos. Querem que não percamos o que é a nossa identidade e sejamos capazes de olhar para o mundo com a matriz cristã sempre presente”, sustentou o padre Américo Aguiar.

Para além do novo programa ‘Manhã da Renascença’, a grelha da rádio hoje inaugurada prevê tempos de debate e entrevista, nomeadamente os de temática religiosa à segunda-feira após as 12h00 e ao domingo, durante a manhã com Óscar Daniel e ao fim do dia com Aura Miguel.

HM/PR



in



Sem comentários:

Enviar um comentário