quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Europa: Bispos católicos de rito oriental lembram violência na Ucrânia e Médio Oriente

Foto: CCEE
Encontro inédito em Portugal sublinhou importância do diálogo entre as várias comunidades

Lisboa, 24 out 2016 (Ecclesia) - Os bispos europeus de rito oriental, que se reuniram este ano em Portugal, lançaram hoje um apelo pelo fim da violência e da guerra na Ucrânia e Médio Oriente.

"Neste momento histórico, estamos próximos dos que são duramente afetados por causa da violência e da guerra que continua a afetar muitos povos, em particular a Ucrânia e o Médio Oriente", refere o comunicado final do encontro, que decorreu entre quinta-feira e domingo, em Lisboa e Fátima.

O texto, enviado à Agência ECCLESIA, manifesta ainda a proximidade dos bispos aos "mais vulneráveis e isolados", pedindo que estes não caiam nas redes de tráfico de pessoas.

O encontro de bispos católicos de rito oriental é uma iniciativa promovida pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) e este ano contou com a participação de responsáveis de países ocidentais, como Portugal, França, Alemanha e Itália.

O presidente do CCEE, cardeal Angelo Bagnasco, disse à Agência ECCLESIA que hoje existem boas relações entre Igrejas ocidentais e Igrejas orientais.

"Há sacerdotes de lá que vêm ajudar aqui, apoios que se trocam, experiência. É um caminho muito bonito que há que continuar", precisou.

O arcebispo de Génova elogiou a forma de "viver e pensar a fé" nos cristãos orientais, a sua Liturgia, o seu "sentido místico".

Para este responsável, é urgente unir forças e ajudar os cristãos no Médio Oriente, "sobretudo fazendo entender às autoridades que os católicos não estão sós no Oriente", há uma "rede de relações".

O encontro dos bispos das Igrejas Católicas de Rito Oriental na Europa contou com a participação, como convidado especial, do patriarca sírio Gregório III Laham.

A sessão de abertura, em Lisboa, teve a presença do cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

57 bispos prosseguiram depois os trabalhos à porta fechada, em Fátima, na companhia do prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais (Santa Sé), cardeal Leonardo Sandri, do arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, e do núncio apostólico em Portugal, D. Rino Passigato.

A iniciativa concluiu-se com uma celebração litúrgica presidida pelo arcebispo greco-católico de Kiev, D. Sviatoslav Shevchuk, na Basílica da Santíssima Trindade, com a passagem pela Porta Santa da Misericórdia.

OC


 in


Sem comentários:

Enviar um comentário